Igreja e Contemporaneidade (Parte II)

terça-feira, abril 23, 2013



A IGREJA, A VIDA E A FAMÍLIA


A Igreja com suas concepções baseadas na Bíblia e nos ensinamentos extras constituídos pelo que chamamos de “tradição católica”, hoje rebate o casamento homoafetivo, o aborto, a eutanásia, a violência contra a mulher, conta o negro, a pedofilia, etc. E faz tudo isso porque somos uma instituição que tem a VIDA como expressão significativa de Deus. Cremos que Deus está no outro. E tudo que é feito contra ao outro é pecado, pois este feito negativo está fora dos planos do Divino.


Somos um grupo de pessoas que é a favor da FAMÍLIA nos moldes de Nazaré (Maria, José e Jesus); cremos que esse molde é rico em estrutura de boa formação humana. Todo mundo sabe que a presença de uma boa mãe e um pai zeloso é imprescindível para a que a criança se desenvolva sem conflitos emocionais a que muitas são submetidas na confusão do mundo moderno. Mas, mesmo não dignificando como “aceitável” os modelos de famílias, compreendemos que é necessário acolher a todos. Sabemos que muitas famílias se formam de forma desordenada, mas não é por isso que dali não possa sair um testemunho de grande importância cristã. Cristo acolheu a todos, mas depois de que todos se voltam para Cristo é impossível não romper com os elementos de degeneração no mundo. Onde o pecado abundou a graça superabundou (RM 5, 20). É impraticável aquele que aceitou a graça não parta para águas mais profundas na fé. O evangelho que pregamos é um evangelho de remissão para Deus.




Olavo Barreto é catequista, ministro da música e estudante universitário. No campo religioso, tem se dedicado na busca de conhecimento sobre os temas: mística cristã, hagiografia, catolicismo e contemporaneidade, diálogo inter-religioso e ecumenismo.

You Might Also Like

0 comentários

Deixe abaixo o seu comentário:

Subscribe