Louvor á Glória de Deus


A glória de Deus, explica o Catecismo da Igreja Católica, é a própria manifestação e comunicação de seu amor e de sua bondade, pois Deus, num transbordamento do próprio ser, manifesta a sua perfeição fazendo todo o ser criado participar da sua bem-aventurança. Cria todas as coisas, portanto, não para aumentar a Sua glória ou para adquirir nova felicidade, mas para manifestá-los. As diferentes criaturas, queridas no seu próprio ser, refletem, cada uma a seu modo, um raio da sabedoria e da bondade infinitas de Deus.
Nós somos predestinados no amor de Deus para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça e somos escolhidos em Jesus Cristo para servirmos à celebração de sua glória (cf.  Ef  1). Assim, louvar a Deus é reconhecer  a sua bondade, o seu amor, sua perfeição,  sua sabedoria, sua vontade perfeita, livre e soberana e rejubilar-se por poder participar do seu ser, por saber que Deus, infinitamente maior do que todas as suas obras, possuindo uma grandeza incalculável, mesmo assim, está presente no mais íntimo de suas criaturas. Deve ter sido isso o que Maria, a mãe do Salvador e nossa, sentiu ao dizer: “Minha alma glorifica ao Senhor, o meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador” (Lc 1, 46-47). Com todo seu ser, com sua consciência e vontade, Maria se alegra no Senhor e reconhece na sua própria vida e nos desígnios de Deus que “tudo é muito bom”(cf. Gn 1, 31).
Devemos aprender com nossa Mãe Maria a ter esse espírito de humildade e de respeito pela glória de Deus, guardando no coração, na alma, no espírito, em todo o nosso ser a alegria de se saber participante da própria natureza de Deus. Maria tinha a consciência de que  todas as coisas e acontecimentos se ordenam para cumprir a vontade perfeita e soberana de Deus.
Louvar a Deus é reconhecer no mais íntimo de nós que somos capazes de doar-nos livremente, entrar em comunhão com Ele e oferecer-lhe uma resposta de fé e de amor. Foi isso que Maria fez, reconheceu-se na sua dignidade de filha de Deus, querida por Ele, e por isso alegrou-se e foi capaz de doar-se por amor. Assim, sempre que damos uma resposta de fé e de amor a Deus, estamos manifestando concretamente o nosso louvor. Com isso, todo o nosso ser se alegra, somos inundados da alegria do Espírito, que gera em nós o louvor, o reconhecimento do amor de Deus por nós e do seu plano de amor para a nossa vida.
Outra maneira de manifestar concretamente o nosso louvor a Deus é cultivando uma atitude de gratidão a Ele. Em uma de suas recentes catequeses, o Papa Bento XVI nos incentiva: “devemos considerar mais frequentemente como nos acontecimentos da nossa vida o Senhor nos protegeu, guiou, ajudou e, assim, louvá-Lo por tudo o que fez por nós. Devemos estar atentos às coisas que Deus nos dá”.  O Santo Padre também nos alerta a ficarmos menos centrados nos problemas e dificuldades e mais nas coisas boas que vêm do Senhor.  Essa atenção ao bem em nossa vida se converte em gratidão e a gratidão gera em nós a alegria. Todos nós devemos ter uma reserva de alegria e uma lembrança do bem para nos ajudar a atravessar os momentos difíceis de nossa vida. Voltando a citar Nossa Senhora, deve ter sido essa lembrança do bem, essa alegria advinda do reconhecimento da bondade e providência de Deus que a sustentou aos pés da cruz.
Aprendemos também com Jesus a cultivar um coração agradecido a Deus Pai e ficarmos confiantes no seu amor e na sua providência. Na segunda multiplicação dos pães, por exemplo, Jesus toma os sete pães e dá graças (cf. Mc 8,6). A seguir, o texto diz que Ele pega também os peixes e os abençoa. Dar graças e abençoar são sinônimos no texto bíblico. Queremos que a nossa vida, a vida de nossos filhos, a nossa casa, nossa missão, sejam abençoadas? Jesus nos ensina como: através da ação de graças, agradecendo a Deus o que temos, ainda que seja pouco. A ação de graças abençoa e o que é abençoado cresce. Nesse novo ano, cultivemos um coração agradecido e confiante, respondamos com fé e amor a todos os acontecimentos, abençoemos a nossa vida e a de todos os que queremos bem!
Maria Beatriz Spier Vargas
Secretária geral do Conselho Nacional da RCCBRASIL
Grupo de Oração Magnificat

2 comentários:

  1. Rainha da Paz, venho aqui divulgar um Retiro para Jovens e conto com a presença de vocês, e também peço ajuda para a divulgação pelo Facebook, Twitter, Blogger, midias digitais. Nos Ajude a Evangelizar, e que vocês Jovens, Não Tenhais medo de ser Santos.

    http://www.youtube.com/watch?v=fSJjruHMknw

    que Deus abençoe a vida e o ministério de vocês, com os cuidados maternais de Maria Santissima

    ResponderExcluir
  2. Que vídeo emocionante o da chamada do retiro falando a história de João Paulo II. Não podemos comparecer ao seu retiro caro Rafael mas temos certeza que muitas bençãos foram derramadas nesses dias de graça. Paz e Fogo!

    ResponderExcluir

Deixe abaixo o seu comentário: